29.8.07

Lição do dia


A amendoeira da foto fica bem em frente ao meu prédio, ao meu quarto, à minha janela. Ela é linda e majestosa, sua copa imensa funciona como um guarda-chuva e como um guarda-sol, ajuda muito a manter uma temperatura agradável na minha casa. Além disso, vive cheia de passarinhos de todo tipo, que dão um tom bucólico a este canto de Botafogo.

Anteontem vi os avisos, na rua e aqui no prédio, sobre a retirada da amendoeira. Provavelmente porque a calçada aqui é muito estreita e as raízes dela já destruíram boa parte da calçada, ameaçando o meu prédio e o prédio ao lado.

Fiquei tão triste, mas tão triste, que não conseguia parar de chorar. Marido chegou em casa mais tarde e ficou muito impressionado. Eu nem quis jantar nem nada. Chorei pela morte da amendoeira, pela falta que a sombra dela vai me fazer, pelo fato de que Mathilde não vai chegar a conhecer a amendoeira.

A lição do dia é: nunca subestime o poder dos hormônios numa gestante.

.

7 comentários:

Marcus disse...

Sei lá, às vezes eu fico de saco cheio da indiferença das pessoas pra tudo, e fico achando que seria melhor se elas tivessem uma sensibilidade um pouco acima do tom, como das grávidas, do que sensibilidade nenhuma.

Camilo disse...

Putz! Nem sei o que dizer. Apesar da descrença do Marcus - que, aliás, faz sentido - nem todo mundo é tão indiferente assim. Eu fiquei triste...

Isabella Kantek disse...

Eu também fiquei triste e achei que tivesse deixado um comment à tarde, mas pelo visto a combinação telefone e word verification não deu certo. =/

De qualquer forma o que eu queria dizer é que passei pela mesma situação em 2005 quando "decidiram" que a árvore da nossa calçada havia morrido. Escrevi sobre essa perda na tentativa de desatar nós e aliviou.

Quanto à postagem Mathilde. Eu entendi, sim. =)
Por sinal adorei ler sobre as temáticas. Você é uma grávida diva mesmo.
Esse seu post me lembrou a escolha do nome da nossa filha. Queríamos algo simples e curto, então decidimos adaptar o tal nome do latim para o português atual, ai!
Ficou pior e hoje que moramos fora temos que soletrar sempre. Hahahaha.

Beijo.

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Embora não subestime o poder dos hormônios, dou razão ao choro inconformado. Não deveriam matar a amendoeira.
Beijo

anna v. disse...

Ah, que maravilha ter leitores que me entendem. Que bom, então não estou exagerando, né? E olha, a boa notícia é que não tiraram a árvore. Não sei por que, mas na data marcada não aconteceu nada, a amendoeira continua firme e forte no mesmo lugar!

Alena disse...

Sei o que é isso e sempre todo mundo fica triste. Ela,a amendoeira, parece que se esquece de sua condição árvore num mundo de homens e não percebe que está tudo dominado já. Então, ela abre sua existência em copa e raízes e ameaça o dia-a-dia do homem que vive nas caixinhas de apartamentos. Então, não há pássaro nem folhas e era uma vez a amendoeira.

Anunciação disse...

Essa tristeza e choro podem até terem sido potencializadas pela gravidez mas é perfeitamente coerente e entendivel.Fiquei consternada.Mathilde porém poderá ver fotos e a narração de sua talentosa mamãe sobre a insensibilidade humana.