27.2.08

A canção infantil em debate (III)

Uma breve análise sobre o cancioneiro que embala nossas crianças

Estudo de caso: Pai Francisco entrou na roda

Pai Francisco entrou na roda
Tocando seu violão
Tá-ram-ram-tam-tão
E vem de lá seu delegado
Pai Francisco foi pra prisão

Como ele vem
Todo requebrado
Parece um boneco
Desengonçado

Um retrato da intolerância institucional e da violência policial em nosso país transmitida, sem censuras, às crianças.
Para começar, o personagem é "Pai" Francisco. É razoável, portanto, imaginar que se trata de um pai-de-santo, afinal, não sei de muitos outros casos em que as pessoas chamem as outras de "Pai" fulano. Depois, a única ação de Pai Francisco de que temos notícia é que ele entrou na roda tocando seu violão. E nada mais fez Pai Francisco para despertar a ira do delegado que, sem outro motivo, meteu-lhe na prisão. Foi porque ele era "Pai"? Porque ele tocava violão? Um caso clássico da associação do violão (e da música popular) com a vadiagem, a malandragem e, em última instância, o crime. Sim, senhores, o crime de Pai Francisco foi tocar seu violão! Tá-ram-ram-tam-tão!
Passemos à segunda estrofe, quando o ritmo da música se altera, ficando mais agitado. Nesse momento, Pai Francisco volta da prisão, e para nosso mudo espanto, volta todo requebrado, como um "boneco desengonçado". Pai Francisco apanhou, e muito, na prisão! Teve seus ossos quebrados, múltiplas fraturas, escoriações, e nós estamos cantando e dançando essa ode à violência aos nossos filhos!

Basta de clamares inocência, Free Pai Francisco Now!

O pai de Mathilde também toca violão para ela. Felizmente, até o momento, ainda não foi preso por causa disso.

21 comentários:

Marcus disse...

Em tempos de Tropa de Elite, temos que ensinar às nossas crianças as questões da violência através de obras de arte neutras e imparciais sobre o assunto, como esta canção e o filme já citado.

Ora, nós não as fazemos acreditar em curupira, duendes e Papai Noel? Por que não podemos falar da imparcialidade dessa obra prima da nossa cultura?

Anunciação disse...

Chorei de rir,mas,pensando bem e prestando atenção,você está coberta de razão.Essa foto ficou uma graça;ela parece ter colocado a cabecinha de lado pra escutar melhor.

Isabella Kantek disse...

Ótima análise. Vou continuar acompanhando ...
Ela está super à vontade no sofá e com os bracinhos para cima que, segundo a minha avó, quer dizer que a criança é feliz e saudável.
Coisas de vó. =)

Ferdi disse...

Do "tam-ram-ram-tam-tão" do inocente Pai Francisco, migramos para o "Ra-pá-pá-pá-pá" do Rap das Armas. Que de inocente não tem nada. A Mathilda está linda, Anna.

Bjs,

Helena Argolo disse...

Eu sempre pensei que Pai Francisco estava bêbado, daí o boneco desengonçado! :) No mais, vc disse tudo que sempre pensei sobre a cantiga! Estou adorando o blog, parabéns!

lauro campos disse...

Sua análise é interessante e poderia fazer sentido, porém o verdadeiro motivo do pai Francisco ter sido preso é porque ele tem nariz. Veja o desenho e observe, ele é o único ser com nariz,o que deve ser proibido daí o mesmo foi preso..... coitado!!

Antonio João disse...

Esse "requebrado" não seria o que é um "adj.
masc. sing. part. pass. de requebrar"?

"adj. Que tem requebros no gesto ou na voz; amoroso, lânguido."

"Em um programa de televisão local, Paddy mostrou o requebrado que lhe valeu o recorde. Veja: Folha de São Paulo, 20/02/2011"

Alene Correia disse...

A sua análise faz muito sentido! A anos eu procuro um sentido para essa música realmente eu nunca gostei que meu filho ouvisse essas "músicas folclóricas" sem sentido! Muito grata por esclarecer pra mim isso! Linda essa bebê e parabéns pelo blog!

Robs disse...

Leaim o poema inteiro. A música é apenas uma versão reduzida... http://licalia.blogspot.com.br/2012/04/verdadeira-historia-de-pai-francisco.html

Iriarte CiaTeatral disse...

Gente! Pai Francisco é um personagem da Lenda de Bumba meu boi que fala sobre conflito social. A cantiga é nada mais do que um brevíssimo resumo de parte da lenda! E preciso pesquisar antes de julgar. Fica a dica!

Larissa Soares disse...

Eu concordo com Iriarte Cia Teatral. E digo mais, no mínimo tal cantiga, assim como letras de Chico Buarque, pode ser um meio de estimular crítica e discussão com seu/sua pequeno/a. Não devemos concluir que, por ouvir tais cantigas, nossas crianças passivamente aceitarão sua discriminação e intolerância - para evitar isso, nós pais, existimos.

Josue Medeiros disse...

Para você como são as coisas! Tive um insite agora a pouco a partir de um pensamento. .de uma outra canção de "ninar" postada no face por uma irmã ( capelinha de melão wue é de São João. ..lembram?) Que me veio a memória sabe lá Deus porquê. .e daí que em seguida...me veio essa outra na mente ( pai Francisco) que mentalmente também me jogou para uma situação imaginária onde radialistas de fm perguntariam para os ouvites afinal que seria esse pai francisco dessa canção. ..e particularmente fiquei a me questionar. ...se não seria um pai de santo. Aí vim pesquisar na Internet. ..Adoreiiiiiiiiii!!!!

Viviane Sá disse...

Penso que ele era um pedofolo O.o

Anônimo disse...

Esse Pai Francisco Não É Nada Mais Nada Menos Do Que O Zé Pelintra . Pesquisem E Vejam As Fotos Como Tem Semelhanças .
( Esse Ze Pelintra é Um Espírito Ou Entidade , E A Baratinha Que Aparece No Vídeo Como Se Fosse O Pai Francisco , A Roupa É Exatamente Igual A Desse Tal De Zé ...

VANIA FELIX disse...

Minha mãe diz que ouvia esta cantiga desde menina e so agora o povo que se diz cristãos estão procurando diabos onde não existe. Isso é que chamo de invocar o mal. O mundo tem outros absurdos para reivindicar e fica se prendendo com fatos improváveis.

Caio Phyllip disse...

Boa noite! Trabalho com crianças, e escuto esta musica... Fico ali ouvindo varias vezes para tentar entender... Em um dvd "Os Pequerruchos", onde ha varias musicas infantis esta musica do pai francisco tem a sonoplatia semelhante a de atabaques, pode ser coisa da minha cabeça, mas tambem tenho a mesma impressão de que pai foi um "pai de santo", estava em uma roda, fazendo algum tipo de trabalho com outras pessoas, em tempos em que haviam tolerancias culturais assim como a capoeira... Só não entendo bem a parte do "requebrado", na qual não entendo se ele esta MACHUCADO ou INCORPORADO.... Por favor , quem ler este comenterio pode entrar em contato comigo, por e-mail... Tudo oque escrevi não é uma critica sobre a musica, é apenas uma uma curiosidade sobre, acho interessante querer saber de onde vem, afinal, tudo tem uma historia e é baseado em algo... Repito, gostaria de receber contatos de você's para conversarmos mais a respeito, acho muito interessante este tema... A todos, uma otima noite, parabens ao blog. Caiophyllip@gmail.com

Francis Martins disse...

Cantam por aí que:
"Pai Francisco entrou na roda
Tocando seu violão
De lá vem seu delegado
E Pai Francisco foi pra prisão
Como ele vem todo requebrado,
parece um boneco desengonçado"

Mas não foi bem assim que a coisa toda aconteceu. A bem da sinceridade...
Pisou no terreiro, todo faceiro
depois de tomar banho de cheiro
Nego Chico, o tocador do lugar
os dedos ágeis a correr
nas rijas cordas do violão
e era lindo de ver como ele trazia
o corpo elástico em frenético bailar
e do dedilhar fazia surgir
vibrantes fagulhas que iam cair certeiras
em femininos corações

Seu som que era mágico
tirou as mocinhas
dos seus costumeiros bordados
diariamente criados
e as atraiu para o terreiro iluminado
por estrelas do céu cravejado
e as atraiu para o Chico
o tocador encantado

A zelosa cozinheira largou o mugunzá
lá se foi muito ligeira com o Chico dançar
a costureira deixou seus tecidos
esqueceu a máquina, esqueceu a linha
e da porta de casa, com os olhos a acompanhar
a festa que o Chico dera início, ao luar

Da costumeira janela
a velha comadre
deixou de ser sentinela
passou batom
ajeitou os cabelos
e foi requebrar sem mais rodeios

O cheiroso jantar
Que Ana estava a preparar
ficou, dali em diante esquecido no fogão
Ana foi para o quarto
foi trocar o vestidão
por um outro colorido,
por um outro mais rodado
e ousadamente decotado.
E assim, toda bonita
foi ao grupo se juntar

Inté vó Dida
sempre, sempre tão calada
o cachimbo a pitar
não teve como fugir
dos sons que a estavam a seduzir
e se lembrou dos tempos de mocinha
em que dançava umbigada

de suas cadeiras
os antigos passos da dança há muitos esquecidos
ela fez ressurgir
e tudo era ginga
e tudo era quizomba.

E todas formaram
uma roda animada
em torno do Chico
que alegre bailava.
Ele se contorcia
ele rodopiava
teve vez que saltava
teve vez que encolhia
sobre o corpo encurvado
só pra depois se abrir feito sol iluminado
os braços estendidos
o canto maneiro
a chamar para girar
os leves vestidos
as saias em flor
pés descalços no chão


Os homens indignados
de vergonha avermelhados
foram tirar as mulheres
da dança despropositada
mas se viram em aperto
recuaram avexados
pois não houve quem não fosse pelas mulheres ignorado

E deste modo, espantados
sentiram tolhido
o poder que há muito
sobre elas exerciam
correram ao delegado
pedindo providência
era grave a situação, pois que o moço encantado
despertava as mulheres, acendia paixões

O seu delegado não deu importância
"Que é que tem se as mulheres
ensaiem suas danças?"
foi dar uma espiada
assim sem vontade
mas chegando no terreiro
viu Chico pura labareda
que as mulheres enlouquecia
com o seu violão a tocar
e quase que cai de costas
o pobre do seu delegado
pois sua esposa, antes beata
agora qual cigana bailava
rosa vermelha entre os lábios
o pano da saia
seguro pelas mãos
na altura da cintura
as pernas a mostrar
todo mundo que quisesse via...

Ninguém imaginava que a respeitável senhora
era capaz de sacudir
os quadris daquele jeito
ela era toda alegria
as palmas das outras acendia...

E foi assim que Pai Francisco
Foi parar na prisão
o seu crime? despertar
as mulheres do sertão...

Francis Martins disse...

Cantam por aí que:
"Pai Francisco entrou na roda
Tocando seu violão
De lá vem seu delegado
E Pai Francisco foi pra prisão
Como ele vem todo requebrado,
parece um boneco desengonçado"

Mas não foi bem assim que a coisa toda aconteceu. A bem da sinceridade...
Pisou no terreiro, todo faceiro
depois de tomar banho de cheiro
Nego Chico, o tocador do lugar
os dedos ágeis a correr
nas rijas cordas do violão
e era lindo de ver como ele trazia
o corpo elástico em frenético bailar
e do dedilhar fazia surgir
vibrantes fagulhas que iam cair certeiras
em femininos corações

Seu som que era mágico
tirou as mocinhas
dos seus costumeiros bordados
diariamente criados
e as atraiu para o terreiro iluminado
por estrelas do céu cravejado
e as atraiu para o Chico
o tocador encantado

A zelosa cozinheira largou o mugunzá
lá se foi muito ligeira com o Chico dançar
a costureira deixou seus tecidos
esqueceu a máquina, esqueceu a linha
e da porta de casa, com os olhos a acompanhar
a festa que o Chico dera início, ao luar

Da costumeira janela
a velha comadre
deixou de ser sentinela
passou batom
ajeitou os cabelos
e foi requebrar sem mais rodeios

O cheiroso jantar
Que Ana estava a preparar
ficou, dali em diante esquecido no fogão
Ana foi para o quarto
foi trocar o vestidão
por um outro colorido,
por um outro mais rodado
e ousadamente decotado.
E assim, toda bonita
foi ao grupo se juntar

Inté vó Dida
sempre, sempre tão calada
o cachimbo a pitar
não teve como fugir
dos sons que a estavam a seduzir
e se lembrou dos tempos de mocinha
em que dançava umbigada

de suas cadeiras
os antigos passos da dança há muitos esquecidos
ela fez ressurgir
e tudo era ginga
e tudo era quizomba.

E todas formaram
uma roda animada
em torno do Chico
que alegre bailava.
Ele se contorcia
ele rodopiava
teve vez que saltava
teve vez que encolhia
sobre o corpo encurvado
só pra depois se abrir feito sol iluminado
os braços estendidos
o canto maneiro
a chamar para girar
os leves vestidos
as saias em flor
pés descalços no chão


Os homens indignados
de vergonha avermelhados
foram tirar as mulheres
da dança despropositada
mas se viram em aperto
recuaram avexados
pois não houve quem não fosse pelas mulheres ignorado

E deste modo, espantados
sentiram tolhido
o poder que há muito
sobre elas exerciam
correram ao delegado
pedindo providência
era grave a situação, pois que o moço encantado
despertava as mulheres, acendia paixões

O seu delegado não deu importância
"Que é que tem se as mulheres
ensaiem suas danças?"
foi dar uma espiada
assim sem vontade
mas chegando no terreiro
viu Chico pura labareda
que as mulheres enlouquecia
com o seu violão a tocar
e quase que cai de costas
o pobre do seu delegado
pois sua esposa, antes beata
agora qual cigana bailava
rosa vermelha entre os lábios
o pano da saia
seguro pelas mãos
na altura da cintura
as pernas a mostrar
todo mundo que quisesse via...

Ninguém imaginava que a respeitável senhora
era capaz de sacudir
os quadris daquele jeito
ela era toda alegria
as palmas das outras acendia...

E foi assim que Pai Francisco
Foi parar na prisão
o seu crime? despertar
as mulheres do sertão...

Unknown disse...

É comum vermos pessoas postando coisas que n conhecem e outras a comentar sabendo menos ainda ...
Esta historia da musica vem de um poema onde pai francisco em seu terreiro meio que enfeitisava as mulheres de um viarejo ao tocar seu violao , onde o delegado o prendeu por tal ato , procurem por : a verdadeira historia de pai francisco ...
Sem mais ,
Abraços ...

juju silva disse...

Esquerdistas safados.

juju silva disse...

Esquerdistas safados.