16.7.10

Dicionário analógico da língua portuguesa, de Francisco Ferreira dos Santos Azevedo

.Nem sei há quantos anos ouvia falar deste livro. Era uma espécie de mito lexicográfico, graal dos apaixonados pela língua. Acho que tinha visto um exemplar, uma vez, mas assim de relance, sem poder folhear. Sempre ouvia dizer que iam relançar. Depois de tantas promessas, fiquei cética em relação à veracidade dos boatos.

Finalmente deparei no jornal com a notícia do lançamento da segunda edição, atualizada e revista, do Dicionário Analógico da Língua Portuguesa. Dei aquela pesquisada básica de preços e comprei na Fnac (R$57,90).

Para quem ainda não atinou para o que seja um dicionário analógico, eu explico. Como está escrito na capa, é um dicionário de "ideias afins". Ou seja, ele não traz definições, significados e exemplos de uso dos vocábulos, como um dicionário comum. Ele traz analogias. É mais ou menos um dicionário de brain storming.

Eu confesso que o método de organização ainda me foge à compreensão. São 6 grandes "Classes" (Relações abstratas, Espaço, Matéria, Entendimento, Vontade e Afeições) que se dividem e subdividem ad infinitum em "grupos analógicos". Mas o importante é que cada verbete agrega uma série de vocábulos que começam mais ou menos com sinônimos e vão se distanciando gradativamente na associação de ideias até chegar num lugar que só muito remotamente pode ser remetido à palavra original. E o mais legal: esses vocábulos vêm divididos em substantivos, adjetivos, verbos etc.

Abrindo páginas ao acaso e pinçando exemplos (os verbetes são muito maiores do que isso):

Furto - roubo, assalto, apropriação, plágio, saque, pirataria, gatunice, trambique, cleptomania, mensalão, propina, desfalque, estelionato, gazua, pé-de-cabra, caverna de Ali-Babá. Verbos: furtar, roubar, saltear, deitar a mão, surrupiar, usurpar, abiscoitar, enfiar a mão, depredar, receptar, cair no conto do vigário. Adjetivos: ladravaz, gatuno, malversador, desonesto, sub-reptício.

Resposta - réplica, troco, objeção, desmentido, aparte, divergência, oposição, confirmação, aplauso, aceitação, ovação, vaia, correção, censura, Édipo, oráculo. Verbos: responder, solucionar, solver, ponderar, retorquir, objetar, retorquir, emendar, desconstruir, acudir, ecoar, interromper. Adjetivos: responsivo, replicador, conclusivo, reativo, objetável, desconforme, censurável. Advérbios: porque (causa), contestatoriamente. Interjeições: Protesto! Não apoiado!

Acho que já deu para entender o clima, não? Isso é de fato um tesouro para quem gosta de escrever e se preocupa em escrever bem. Aquela história: a língua portuguesa tem mais de 50 palavras; use-as. Um dos grandes diferenciais dessa edição, segundo li em algum lugar, é a presença do índice geral no final do volume. É realmente imprenscindível, caso contrário encontrar uma palavra específica vira mesmo um trabalho de maluco.

Vale a pena visitar o site oficial do dicionário, onde há vários outros exemplos de verbetes, além do ótimo prefácio do Chico Buarque (que curiosamente assina "Francisco Buarque de Hollanda", como se o ambiente lexicográfico obrigasse a tais formalidades), apresentação, prólogo, dados técnicos etc.
.

9 comentários:

Cláudio Luiz disse...

Adorei - gostar - reverenciar - amar - venerar eheheheheh
Vai entrar pra lista de desejos.

Anônimo disse...

Na Travessa está 55,22, e ótima dica, merci.
clara

Isabella disse...

Puxa, vou ter que pedir para alguém trazer para mim.

Beijos.

Anunciação disse...

Que maravilha!

osvjor disse...

ótima sugestão

José Carlos disse...

É incrível que essa obra tenha ficado sem reedição pór tanto tempo. Encomendei um exemplar através do site Gojaba.com.br, por R$ 52,50.
Vale a pena ler o prefácio de Chico Buarque, disponível no site da Editora Lexicon.

Kovacs disse...

Cheguei por aqui através do blog linha de pesca e não pude resistir à comprar o dicionário analógico que recomendo para todos. Um abraço!

Kovacs disse...

Acabei publicando uma postagem sobre o dicionário lá no meu blog Mundo de K e citando o Terapia Zero, espero que não se importe.

Matheus Galvão disse...

Estou louco (doido, maluco, desesperado...) para comprar um. Faço Direito e tenho um blog; sempre fico procurando palavras e, inclusive, acredito que seja um problema atual a perda de vocabulário. Ajudaria-me muito um desses; vou comprar o mais breve possível.

ótimo blog!

http://retadevista.blogspot.com