28.8.11

A decadência do sabor-chocolate

É hora do lanche, que hora tão feliz, queremos biscoitos São Luiz!

Não adianta. Por mais que tentemos levar a cabo uma alimentação consciente, saudável, orgânica e o escambau, ainda somos todos fãs da boa e velha gordura vegetal hidrogenada, presente em dez entre dez bobagens comestíveis. Simplesmente não é possível viver incólume aos produtos industrializados que conquistam pela praticidade, preço, acessibilidade e doses cavalares de açúcar.
Meu primo F. já me havia convencido de sua teoria sobre o sabor-morango. Segundo essa teoria, o sabor-morango é o que encontramos em biscoitos, danoninhos, bolinhos Ana Maria, balas e picolés. Não tem absolutamente nenhuma relação com a fruta morango, daí a pertinência do hífen em sabor-morango: é um terceiro vocábulo cujo significado em nada se relaciona com as duas palavras que o compõem (sabor e morango). Então você pode ter, por exemplo, uma torta feita com a fruta, e será uma torta de morango. Ou você pode usar as essências e a massa pronta, sem usar a fruta, e terá um bolo de sabor-morango. Coisas muito distintas.
Recentemente me dei conta que o mesmo acontece com o chocolate. Existe também o sabor-chocolate, encontrado nos mesmo produtos (biscoitos, bolos etc.). E é neste caso que temos percebido uma forte decadência em relação a uns vinte anos atrás.
Não é questão de nostalgia ou de coisas que achávamos incríveis quando éramos crianças e simplesmente crescemos para parar de idolatrar, como desenhos do He-Man e Caverna do Dragão. Não. As coisas realmente pioraram muito. Marido foi o primeiro a acusar o golpe. Reparou, com muita propriedade, como o Biscoito Bono de chocolate é hoje em dia muito, mas muito inferior ao então chamado Biscoito São Luiz de chocolate. Teoricamente deveria ser a mesma coisa, que só mudou de nome -- e de peso líquido, pois o que mais se vê hoje em dia são os avisos nas embalagens: redução de peso de 20%, redução de quantidade de 15% (isso em pacotes de biscoito, fralda, pão de queijo, qualquer coisa). Mas enfim, tergiverso. O importante é que o gosto do biscoito sabor-chocolate piorou muito. É um biscoito recheado, pois não. Os biscoitos que circundam o recheio têm hoje um gosto indefinido, fraco, esfarelento, rarefeito. É praticamente uma bolacha qualquer, não tem mais o, como direi?, o punch do chocolate.
Além do Biscoito Bono, outra vítima foi o Nescau. O que aconteceu com o Nescau?! Ficou ruim. Ruim mesmo! E fraco também. Parece uma tática para obrigar e colocar 200 colheres de Nescau num copo de leite para torná-lo ligeiramente amarronzado. E o pior é a insipidez: coloco 200 colheres e o leite fica com gosto de... leite!
A verdade é que tem sido uma luta não me tornar uma pessoa do tipo no-meu-tempo-tudo-era-melhor.

7 comentários:

Carolina disse...

Meu deus!!! Esse biscoito de leite era o melhor de todos e hoje em dia também é vítima do sabor-leite. Triste.

Isabella disse...

Aqui, o que me chama a atenção é o sabor do suco de laranja, pois eu cresci tomando o suco fresco, feito na hora. Biscoito e chocolate de qualidade ainda é possível encontrar, mas confesso que se tem gordura hidrogenada eu não compro. E, coincidência ou não, li esta semana um artigo sobre o sabor-laranja nos mesmos moldes do seu. É tudo química, Ana. E ganância por parte destas empresas.

leila disse...

o unic que continua legal é o Enroladinho de Goiaba da Bauducco.

anna v. disse...

No geral acho que os biscoitos da Piraquê continuam fiéis ao que eram. Gosto do leite maltado e do goiabinha da Piraquê. Esse enroladinho, Leila, me parece uma cópia do clássico goiabinha. Mas é fato que são todos bons. E Isabella, suco de laranja de caixinha é um dos maiores crimes de lesa-pátria dos EUA. Em compensação, adoro o suco de maçã (industrializado) que é tão comum aí e que no Brasil não existe.

Isabella disse...

Anna, você iria adorar a cidra de maçã. Também bastante comum por aqui e ainda mais especial que o suco de maçã.

leila disse...

é mesmo Anna, eu me enganei, a marca é Piraquê. O outro é cópia. o Goiabinha continua bão dimais!

Anônimo disse...

Assino embaixo da crítica ao Bono sabor-chocolate e ao sepultamento do sabor-leite. Também curto o goiabinha da Piraquê.

Minha infância tem uma combinação que me é muito, muito cara: biscoito maisena Piraquê (embalagem vermelha) molhados um a um num copo de leite com Nescau quente. Recomendo fortemente.

Repito a receita de quando em vez, mas notava algo diferente... Bingo: é a bosta do Nescau!

Fábio Carvalho