31.1.09

anna v. vive

Foram dias difíceis, mas sobrevivemos.
Mathilde ficou boa, eu também; a água voltou, o marido também.

Nesse meio tempo, F. indicou este blogue a um prêmio, o que muito me deixa lisonjeada, e nasceu o filho da Isabella, depois de incríveis 42 semanas e 2 dias! (Parabéns, querida. Que ralação...)

Estou gostando bastante do trabalho novo. Tipo lua-de-mel. Mal posso acreditar que me tenha aparecido este emprego do jeito certo, no momento mais exato. E ainda tem o doce mundo da carteira assinada, incluindo auxílio-creche, vale alimentação, plano de saúde (inclusive odontológico), vale transporte e bolinho todo mês para os aniversariantes. E a vista da minha sala é linda (fotos depois).

Acho também que vou dar uma guaribada neste blogue. Uma coisa assim ano novo, sabe? Como minha amiga T., que está fazendo hoje, dia 31/1, uma festa de réveillon, que chamou de segunda chamada para 2009 (porque o réveillon dela foi um desastre, ela precisava de mais uma chance).

.

4 comentários:

Isabella disse...

Que bom que voltou. So percebi a mudanca depois de ler o post, achei que fosse bug do meu firefox. ;)
Obrigada pela lembranca. Se a medica tivesse deixado acho que ele teria nascido com 44!
Fico feliz que esteja tudo bem agora. E parabens pela indicacao, seu blog tornou-se leitura obrigatoria com o passar do tempo.
=)

Marcus disse...

Essa coisa de bolo de aniversário para os colegas significa realmente que estamos num bom emprego...

Anônimo disse...

Fico feliz pelo emprego novo, anna, e acho um tantinho engraçado uma moça tão qualificada estar achando bom um emprego que ela certamente fez por merecer. Mas continua uma incógnita o seu campo de trabalho, não consigo atinar com o que vc faz, mas tenho certeza de que faz muitíssimo bem o que quer que seja.
Beijo grande pra linda mathilde, que ela fique bem sempre.
um abraço,
clara lopez

ps. gostava mais tb do outro template.

anna v. disse...

Isabella, como é que você consegue blogar, ler e comentar, com uma pequena e um recém-nascido?! Você é minha ídala absoluta!

Marcus, editoras são empresas bem tradicionais. A maioria que eu conheço mantém essa prática. É engraçado, mas é.

Clara, vou fazer um post explicando. Não tem esse mistério todo, não.