12.8.09

Passeio no xópin

Fui fazer compras. De roupas para trabalhar, basicamente. Reconheci, um pouco a contragosto, que meu guarda-roupa dos anos 90 já está em estado de petição de miséria. Saiu da categoria vintage-cult para a categoria mendigagem-descaso.
Detesto comprar roupa. Foge-me à compreensão como as pessoas podem gostar. Bater perna, encarar vendedoras, experimentar roupa naquelas cabines! Sair para comprar roupa para mim é como ir ao supermercado. Sei que preciso, não há como fugir, na hora é um saco, e depois de terminado dá uma sensação de alívio e dever cumprido, e a alegria de saber que não precisarei mais passar por isso por algum tempo.
Como não compro roupa quase nunca, quando saio para comprar sempre digo a mim mesma que não vou economizar: se gostar de uma roupa, compro, não importa o preço. Afinal, é tão difícil achar uma coisa de que eu goste e com que me sinta bem. Mas na hora agá nunca funciona. No momento de pagar NOVENTA REAIS (ou mais, muito mais) por uma blusa, acho um escândalo e me recuso. Ou DUZENTOS E NOVENTA E CINCO REAIS por um par de sapatos. Sei lá. Não consigo.
Mas dei sorte, e achei umas blusas boas por preços, digamos, possíveis. Como sempre faço nesses casos, comprei várias do mesmo modelo, de cores diferentes.
Queria ter comprado sapatos e calças também, mas aí já era demais. Quase dez da noite, no xóps cênts, too much. Sem falar que sapato é ultra difícil para mim. Porque não abro mão de conforto, mas não quero andar só de tênis. Nem convém, lá onde trabalho. (Só na sexta-feira, que é Friday Casual e todo mundo vai mais relax.) E nossa, como é difícil encontrar sapatos arrumadinhos e confortáveis. E vejo as mulheres andando para cima e para baixo com uns scarpins inacreditáveis, com umas sandálias medonhas, de salto fino bem alto e só uma tirinha passando entre o dedão e o segundo dedo, de modos que em 95% dos casos fica saindo pé pra fora da sandália, o mindinho ali meio torto, caindo, encostando no chão. Ou com sandálias de salto alto e tiras amarrando na canela, moda gladiador! O horror, o horror.
Não que eu preferisse ser homem, nesse aspecto. Acho bacana poder variar tanto. Não sou uma só, já diria a querida. Mas é bizarro constatar a dificuldade em encontrar coisas ao mesmo tempo medianamente formais (não trabalho de tailler, nem de jeans e camiseta) e que não sejam apertadas, desfavoráveis e, pelamordedeus, que não tenham babados! (O senso de humor dessa gente da moda parece não ter limite.)

6 comentários:

Deh disse...

Toda a solidariedade do mundo pra você nessa hora, Anna. Eu também tenho horror a loja de roupa e sapato, fujo enquanto puder. E a restrição a gentes do meu tamanho também me faz sofrer, as conversinhas de vendedoras, os preços, afe. Mas meu empreguinho tem essa vantagem, de eu poder trabalhar em clima Everyday Casual. Jeans e tênis, yeah!

Isabella disse...

Então somos duas! Acho difícil encontrar peças, digamos, mais "clássicas" num bom preço.
Sempre que saio para comprar um sapato, o que não ocorre com frequência, volto com um par de tênis nas mãos. Minha última tentativa foi aqui no BR, comprei uma sapatilha gostosa, made in Brazil, para variar um pouco, se quiser te passo a marca. Ainda não usei, então veremos...

Monix disse...

Sapato: já procurou na Uncle K.? Tem uns modelos bem básicos e, na minha opinião, confortáveis. (Meu pé é cheio de frescurites que minha mente definitivamente não entende...) Tem um sapato com um elástico cruzando o peito do pé, tipo "boneca", que eu acho excelente para trabalhar. Várias cores, etc.
Uma descoberta recente foi a Sollas, que tem no Shopping Vertical, aqui no Centro, e em algum lugar do Zona Sul, acho que Ipanema. Experimentei um sapato de salto (que eu também detesto) e ficou ótimo! Do tipo aguentar a noite toda de pé.
Enfim, ficadica. Beijos!

anna v. disse...

Deh, pois é, pois é. Tudo isso: a maluquice dos tamanhos (por que será que sobre taaanta roupa tamanho P nas araras e nunca tem G porque acaba em 2 segundos? Helloou?), a maluquice dos preços, a sandice das vendedoras... E o pior é que eu nem queria trabalhar de jeans e camiseta. Eu curto me arrumar (moderadamente). Mas pô, tá difícil.
Isabela, nos EUA sempre me dei bem para comprar roupa. Sapato então, mais ainda, porque tem aquelas lojonas que você entra e se vira com um monte de caixa de sapato de vários tamanhos, sem ninguém te servindo, te pajeando o tempo todo. Mas aqui não tem isso.
Monix, namoro muito a Unkle K (aqui no Botafogo Praia Shops tem), mas sei lá por que, nunca comprei nada. Acho que é porque é muito cara. Essa sapatilha que vc descreveu parece uma que tenho da New Order (também do Bot. P. Shops), e de que gosto à beça. Essa Sollas não conheço. Onde é o Shops Vertical?

Maria Angélica disse...

Só pra reforçar a dica da Monix: eu AMO a Sollas, tem sapatilhas lindas, sapatos boneca coloridos e até os de salto são confortáveis. Minha loja favorita de sapatos. Mas acho tudo caro. Mas eu acho tudo caro em todo lugar sempre, então nao sou parâmetro. O shopping vertical é na 7 de setembro. Tem no shopping da gávea também.

Ângela Fatorelli disse...

nossa, eu odeio tanto comprar roupas que compro várias peças iguais quando gosto de alguma coisa, sob o incrédulo olhar da vendedora. Eu tenho a sorte de poder trabalhar de jeans e all star, fazendo a linha professora muderninha, mas eu de tempos em tempos tenho q renovar o estoque de jeans - dificílimos de encontrar um bom e que vista bem. e que nao custe 500,00 e calças pretas, além das inevitáveis camisas brancas. eu não uso saias. nem camisetas. nem mangas curtas. enfim. é uma chateação.
nunca fui na tal sollas, mas quase matei por uma sandália que uma amiga em comum com a Monix estava usando, hahahaha. mas tenho medo do preço!