18.9.11

A cara-de-pau nos tempos de internet

Este não é um blogue muito popular. Tenho uns leitores fiéis, e outros tantos que chegam aqui por acaso, por links alheios ou buscas no Google. Minhas postagens são esporádicas, e o número de acessos é modesto. Quando bate 100 visitas num dia, é muito.

Pois bem. De uns tempos para cá, tenho recebido alguns emails de empresas que querem fazer o que chamam de "parcerias". Mas que funcionam assim: eu falo do produto/site/serviço no meu blogue, e pronto. Não tem, por assim dizer, nenhuma contrapartida para o lado de cá da parceria.

Isso decorre de uma febre das mídias sociais. Toda empresa agora acha que precisa ter uma presença forte nas mídias sociais, custe o que custar, e colocam os blogues no pacote. Mas a coisa é feita de forma desorganizada, nas coxas. A impressão que tenho é que alguém faz uma busca superficial no Google, escolhe uns blogues, e pronto.

Porque eu já recebi mensagens desse tipo de sites de turismo, como se meu blogue fosse sobre turismo. Ou como se fosse exclusivamente sobre livros, como este:

Olá, tudo bem?
Saudação genérica, que não se dá ao trabalho de citar meu nome ou o nome do blogue.
Trabalho para o Site Tal e, assim como o seu site o nosso foco é a literatura.
Oi? Desde quando meu foco é só literatura?
Segue nossos banners para que você ajude-nos a crescer nos divulgando em seu site. Você também pode encontrá-los na página "Imprensa" em nosso site.
"Segue nossos banners"?! Rapaz, para um site com foco em literatura, faltou um revisor.
Estamos abertos à sugestão de ideias e parcerias que agreguem valor ao Site Tal, nossos clientes e parceiros.
Fico à disposição.

Viram que genial? A pessoa manda um email genérico, com erro de concordância, mostra que nem sabe bem do que trata o blogue, pede para eu poluir meu blogue com banners, e não oferece absolutamente nada em troca. Acho que uma cara-de-pau sem tamanho. Imagino o que não sofrem os blogueiros realmente profissionais, aquela turma dos milhares de acessos diários.

Sei que existem muitos blogues focados em resenhas de livros. É bacana, muitos são de jovens e adolescentes, verdadeiros leitores compulsivos, que postam todo dia falando de lançamentos, comentando sobre os livros e fazendo resenhas. Eles têm uma infinidade de seguidores e cada post gera dezenas de comentários do tipo "Nossa, amei sua resenha!". Aí pintou a moda de fazer parcerias com as editoras - que mandam os livros para os blogueiros falarem a respeito deles nos seus blogues, ou para sortear entre os seguidores. Algumas editoras inclusive dão um prazo (!) para a pessoa escrever sobre o livro, se não, adeus parceria.

Tenho sentimentos contraditórios em relação a isso. Porque, se por um lado é legal esse incentivo de parte a parte (o blogueiro ganha o que mais gosta: livro; o editor consegue uma divulgação barata de seus lançamentos), por outro lado, fico me perguntando que legitimidade têm essas resenhas. Se a pessoa não gostar, vai falar mal do livro da editora parceira? Não sei não, acho que ainda está todo mundo muito perdido, sem querer perder um bonde que não sabe bem qual é, nessa história da melhor utilização da internet para vender o seu produto.





3 comentários:

Anônimo disse...

Meu blog é quase invisível para esse tipo de leitor, na verdade, para qualquer leitor, e acho bom sobretudo quando se trata de literatura - não tem como ser mais subjetiva e pessoal falando do assunto, e é assim que acho ótimo, depois de falar 'a sério' por tantos anos. Viva a liberdade, que os jovens façam as resenhas pras editoras, sempre vai haver essa soma do entusiamo de uns, com os interesses de outros.
beijo, e a cara de pau é do pvo sem noção é imensa mesmo,
clara

Paula disse...

Acho que o mais interessante nisso tudo é o ego. Talvez muitos blogueiros cedam a esse tipo de coisa pela felicidade de alguém achar a sua resenha ou blog bons...ilusão ou não, fica a critério de cada um... Internet tem de tudo mesmo...o negócio é selecionar o que você quer! Boa semana :)

Deh disse...

Olha. Escrevendo pro Nerdrops recebi uns 2 ou 3 livros pra resenhar. E não tive dó não, critiquei quando achei que devia. Também tive a sorte suprema de ter na mão livro legal, fico pensando se fosse alguma coisa ruim MESMO. A gente pisa em ovos, de qualquer forma.

Essa semana mesmo pingou lá alguma dessas ofertas de parceria marota. O responsável pelo estabelecimento dessas camaradagens quase respondeu "acompanha fritas?" pro proponente espertinho.

:*