18.11.08

O passado numa saída de escola

Outro dia passei em frente ao colégio onde estudei dos 14 aos 17 anos (aquilo que na época se chamava de segundo grau) bem na hora da saída dos alunos. Vi os grupos de adolescentes partindo em todas as direções, caminhando para casa. As meninas com as mochilas penduradas num ombro só, os cabelos presos numa espécie de nó precário feito com o próprio cabelo, conversando animadamente, virando de lado, rodopiando pela calçada.
Foi tão claro. Eu estava ali. Porque me lembrei com precisão daquelas voltas para casa, das conversas sobre quaisquer assuntos, das urgências e das bobagens, dos planos, tantos planos. Não sei que espécie de peça é essa que a memória prega, de trazer lembranças com tanta nitidez.
Tentei lembrar como via, naquela época, alguém como eu hoje - 32 anos, uma filha no colo. Na verdade não consegui lembrar. Decerto porque era algo tão remoto que só poderia me despertar sentimentos como curiosidade ou, vá lá, certa ternura.
Léguas de distância entre a menina de mochila pendurada e a moça com a filha no colo. E no entanto, uma proximidade tão grande na direção oposta, a moça com a filha no colo tão lembrada da menina de mochila pendurada. Que desproporção. E um espanto atônito, tentando entender como foi que isso aconteceu.
-

6 comentários:

Anunciação disse...

Você revive e me faz reviver.Beijos.

Deh disse...

Putz. Você reproduziu em palavras precisas tudo o que eu penso dia sim, dia não na frente dos meus meninos e meninas.
Sei lá. Fico meio tristonha. Não sei se fico pensando "eca, eu era assim?" ou se fico matutando "cruzes, como é que eu fui ficar assim?". E não sei se essa mudança foi boa ou ruim.
Mas isso é porque os dias não andam bons.
Mas melhora. Espero.
Beijos!

Sal Ober disse...

e é tão bom recordar.
já dizia alguém da minha Terra: "E recordar é viver."
e como tudo o que passou é tão melhor que o que se passa.
saudações


http:\\coresemtonsdecinza.blogspot.com

Cacá disse...

É, Anna. Lembranças boas que ficam guardadas e relembradas de tempos em tempos.
Beijo.

Helê disse...

Nossa, Anna, eu me vi na porta do colégio. Sempre me lembro de uma frase atribuída ao Jagger, que ele teria dito ao fazer 40 :!E eu melembro do que custumava pensar das pessoas da minha idade...!

anna v. disse...

Deh, claro que a mudança é boa. Não dava pra ficar daquele jeito pra sempre, né não? :-)
Helê, eu não lembro. Acho que não perdia tempo com esses pensamentos, haha.