23.10.09

33 anos - parte 3

Primeira parte
Segunda parte

Aos 6 anos tive que deixar o Patronato da Gávea, que só ia até o C.A., e entrei no Colégio St. Patrick's, depois de fazer prova para a primeira série. Não era uma grande prova, como hoje existem os "vestibulinhos" para entrada no ensino fundamental. Lembro de fazer essa prova sozinha, na sala da coordenadora ou coisa do tipo, uma folha com questões em letras violeta e ainda exalando cheiro de álcool do mimeógrafo. Tudo aquilo era novidade para mim, que não estava acostumada a testes, provas, etc. Não sei por que meus pais escolheram o St. Patrick's, um colégio irlandês, bem tradicional (ecos bostonianos, talvez?). Não conhecíamos ninguém que estudasse lá. Aposto minhas fichas no quesito praticidade. O St. Patrick's era na mesma rua onde eu morava, a meros 3 quarteirões de distância. Era (ainda é) um colégio médio em tamanho. Na época tinha duas turmas de cada série, com cerca de 25 alunos cada uma; ia do C.A. à oitava série, e hoje em dia tem segundo grau (ensino médio, que seja). A dona do colégio era uma senhora irlandesa, temidíssima, Mrs Maureen, que falava com um sotaque carregado, como se tivesse chegado ontem de Dublin. Ou Belfast. Parece que ainda é viva, volta e meia alguém me diz que a viu fazendo compras num supermercado do Leblon. Se for verdade, Mrs Maureen deve ter uns 120 anos, por aí.
O diferencial "irlandês" do St. Patrick's era o ensino de inglês. Desde a primeira série tínhamos aula de inglês cinco vezes por semana. O colégio tinha também turmas especiais para estrangeiros, com todas as matérias em inglês. Mas essas turmas eram de manhã, eu estudava à tarde e não tinha contato com os angloparlantes. A professora de inglês dos cinco dias por semana era a mesma da primeira à oitava série: Teacher Terezinha. Tanto convívio era fatal, e na terceira série todo mundo já detestava a professora e seu ritual diário: Good afternoon, class; Good afternoon, Teacher; How are you today?; I'm fine, thank you, and you, Teacher?; I'm fine, thank you, class. A turma falava em uníssono. Ainda no quesito Irish Pride, comemorávamos o St. Patrick's Day todo 17 de março. Até hoje sempre me lembro da data.
Como de costume, a primeira série foi o início de uma vida institucionalizada, de rotinas, horários, deveres de casa. No primeiro dia de aula, eu com meu novo uniforme, de blusa branca de botões com um trevo bordado no bolso do lado esquerdo, saia de pregas verde, meia branca e sapato preto tipo boneca, fiquei fascinada com a possibilidade de comprar lanche na hora do recreio. Aquilo era uma novidade completa. Fui, com a maioria das crianças, para o refeitório comer o lanche fornecido pela escola (groselha, biscoitos de maizena), mas fiquei pasma com os alunos que compravam misto quente e coca-cola (garrafinha caçula) na cantina. Levar dinheiro para escola! De qualquer forma, eu levava dinheiro muito raramente, e quando isso acontecia quase sempre era para comprar biscoitos de polvilho ou paçoca. No dia-a-dia, ficava mesmo com a groselha e os biscoitos maria -- e achava aquilo muito bom.
.

4 comentários:

alenacairo disse...

Estou adorando!

Clara Lopez disse...

Isso ainda vai acabar em livro, que bom...:)
abraço,
clara

Anunciação disse...

Concordo com a Clara Lopez;e aí saberemos mais detalhes.Estou adorando.Se eu tivesse aulas de inglês com essa frequência,talvez eu conseguisse ler essas coisas todas praticamente indecifráveis que encontro na internet.

Liliane disse...

Doces lembranças que voce tem da sua infancia! Uma maravilha de ler!
As lembraças que tenho da minha são sempre de algo negativo... Tudo dificil e sofrido nada de agradavél acho que já sou drama queen desde pequena! :D
Um beijo em voce e na sua filhota essa semana me dei conta que os dois anos estão 'na porta'...