10.10.09

Pet peeve


Eu não conhecia a expressão "Pet peeve" até ontem, quando li este post, do blogue de uma agente literária americana, que acompanho. Segundo o dicionário, pet peeve é "motivo freqüente de reclamações ou discussões". No post em questão, era isso em relação à língua inglesa. Um dos pet peeves da autora do blogue é a abominável mania de se trocar "you're" por "your", assim como "they're" por "their". Os mais de 100 comentários são ótimos, com as pessoas felizes por terem um espaço para dizer que detestam o mau uso do apóstrofo e das aspas (e vocês já visitaram o hilário site The "Blog" of "Unnecessary" Quotation Marks?), pessoas que usam "that" no lugar de "who", pessoas que dizem "Anyways...", assim mesmo no plural, e milhares de outros casos.

Eu também tenho minhas picuinhas de linguagem. (E aposto que o Revisor e seus leitores terão muito o que acrescentar sobre este tópico.) Fico muito irritada quando vejo um erro de concordância tão frequente quanto idiota: "Fulano foi um dos deputados que mais compareceu ao plenário". "Compareceram", cacete! Dos deputados que mais compareceram, Fulano foi um! Não tem complexidade, é simplesmente uma questão de lógica. Vejo esse erro um dia sim, o outro também.
Em segundo lugar, o infeliz "por que" separado em frase que não é uma interrogação direta. Não sei como puderam perpetrar esse crime por tantas anos na escola: "Por que" separado é em pergunta, "porque" junto é em resposta. Não, não, mil vezes não! Existem mil usos de "por que" em frases não interrogativas. Por exemplo: Não sei por que ensinam isso nas aulas de português. É simples. Não sei por que motivo. Não sei por que razão. Não tem muita margem para dúvida. E se tiver, verte para o inglês. Se for why, é por que. Se for because, é porque.

Nem vou entrar no assunto da pontuação e da crase, verdadeiros traumas nacionais. Acrescento apenas que abomino as pessoas que usam o verbo "realizar" como sinônimo de perceber, dar-se conta. Um anglicismo semântico horroroso.

Mas quero saber, quais são seus pet peeves da língua portuguesa?
.

6 comentários:

Marcus disse...

Às vezes em me engano no uso do porque, quando escrevo rápido, mas quem tem dúvida pode perguntar se, na afirmação, dá pra trocar por "por qual". Se der, é o "por que" separado mesmo.

Deh disse...

Meu pet peeve de hoje são as aspas. Que o povo acha que é enfeite. Uma aluna outro dia disse "ah, mas deixa mais bonitinho" quando eu falei pra remover de um cartaz. Aspas não são penduricalhos, poha! Porque senão, né, fica igual à placa na cabine do pedágio que vimos outro dia: "Use 'moedas'". Então eu disse pro D.C. que "olha, adorei, podemos pagar com balas ou bolinhas de papel".

Clara Lopez disse...

O anglicismo semântico do realizar me chateia há anos, enfim alguém que conhece inglês melhor do que eu diz com todas as letras o nome da coisa.
beijo,
clara

Anunciação disse...

Não entendo bulhufas de inglês e esse artigo me lembra uns laudos digitados pelo povo de onde eu trabalho que nem dá pra corrigir;melhor rasgar e mandar digitar de novo;e é porque eles estão copiando de uma caligrafia que todos elogiam;mas se dão ao luxo de "corrigir"(com aspas,mesmo).

Ângela F. disse...

tenho ânsias homicidas quando leio acento nessa vibe anglicista, como no anúncio do rascal. um italiano c acento mediterraneo. vontade de matar o desgraçado

Anônimo disse...

A melhor tradução de pet peeve é "implicação". São coisas que para outros são de somenos importância, mas para a outra pessoa chateiam e fazem-na perder a paciência.

Guilherme