31.7.06

Mundinho da dança

A parede da Deborah Colker
Quer se sentir gorda mesmo estando em paz com a balança? Faça como eu: vá a uma festa de bailarinos. Além de obesa, me senti a mais velha, porque todos eram animadíssimos e dançavam (ha!) sem parar. Ah, mentira, a festinha foi ótima e os dançarinos todos uns amores. E felizmente C. e F. são tão velhinhos quanto eu, e nos unimos todos no coro do "ah, esse frio ataca o reumatismo, minha filha". Com voz tremidinha e tudo. Hehe.
Além disso, tive a chance de trocar impressões com gente mais abalizada do que eu sobre o espetáculo da Deborah Colker que vi semana passada. Porque, olha, fiquei meio decepcionada, pra ser honesta. Primeiro, porque achei a música horrível. Segundo, porque é tão UAU o tempo todo, que não sobra muito tempo nem espaço para refletir. Fiquei fascinada, mas não senti muita coisa, sabe? Na verdade não é UAU o tempo todo, não. Tem umas partes aliás muito chatas. Mas tem esse lance da parede de alpinismo, que é uma loucura. Mas é circo, então você prende a respiração, antecipando uma queda que, claro, não acontece. E olha, os bailarinos acham isso também. E ainda contaram mil fofoquitchas de bastidores. Lindos, magros e meio malvadinhos também.

Um comentário:

Bela Caleidoscopica disse...

Ui, que diliça!
adoooro meio malvadinhos! hahahaha
Beijos
ps: sem falar que bunda de bailarino, meu bem, é remédio pra bem uma dúzia de mazelas!