3.7.06

Expectativa

Hoje estava remexendo uns e-mails antigos e achei uma mensagem de C, a paulistana, de novembro do ano passado, perguntando se as coisas no meu trabalho tinham melhorado. Ou seja, antes de novembro já estavam ruins. E continuam péssimas até hoje, e eu continuo lá. São mais de oito meses de insatisfação profissional, movidas pela tentação do comodismo. Quando percebi, há algum tempo, que não se tratava de uma "fase" ruim, mas sim de uma situação sem perspectiva de melhora, comecei a correr atrás de outra coisa. E pintou uma coisa muito legal, mas estou naquela fase aguardando uma resposta. E o prazo pra essa resposta é esta semana (início de julho eu entendo como esta semana, né não?). Então desde hoje eu intensifico o meu exercício diário de controle da ansiedade. E sem drogas! Mas como é chato passar o dia "tocando pro lado" no trabalho. Porque hoje em dia tenho muito pouca coisa pra fazer. E os chefes, tão incompetentes, não percebem o quanto estou sub-aproveitada -- meu trabalho é pensar, e não executar tarefas bobas. De modo que fico boa parte do dia lendo blogues e livros. E ainda reclamo! A vida é injusta, você vai dizer.

2 comentários:

Alena disse...

Booooooooooooaaaaaaaaa Sorte!

Fernanda disse...

Estou impressionada até agora com as suas palavras! É EXATAMENTE o que eu tenho vivido desde o ano passado tb. Ganho um salário para ficar a maior parte do tempo sem fazer nada. Me sinto uma inútil e meu mau humor é constante. Ai, torce para que a sua boa notícia saia logo. E eu, que nem expectativas tenho até agora...