17.7.06

Bandidas e apaixonadas

Li no jornal que uma das advogadas envolvidas nesse escândalo dos advogados que "entregam" os próprios clientes para bandidos estaria apaixonada por um chefe de quadrilha. Então ela avisava ao bandido que um tal fulano tinha acabado de sair de uma audiência qualquer com 30 mil reais no bolso, e era uma presa fácil. E fazia uma sacanagem dessas porque ela estava apaixonada.
Como a Suzane Richthofen, que fez o que fez em parte porque alega que estava emaconhada, em parte porque estava apaixonada pelo Cravinhos.
Vem cá, será possível que paixão seja um atenuante para esses crimes? E por que só mulheres usam desse expediente? Nunca vi nenhum homem querer justificar um crime por estar apaixonado -- a não ser os crimes passionais, e que na maior parte das vezes são para "defender a honra" do indivíduo. Será que apaixonada entra naquela categoria de "perda momentânea da razão"? E pelamordedeus, desde quando?? Por que só as mulheres se dispõem a pagar um mico desses?

2 comentários:

Mani disse...

Já pensei muito nisso, por aqui teve advogada que se "apaixonou" pelo cliente sequestrador, e quis casamento na catedral, e tudo...Não recebeu autorização pro noivo sair antes da pena cumprida, agora, já casou...Eu pensava que ela queria "resgatar" o amado, mas, sei não...Isso de amor bandido não cola comigo...

Camilo disse...

Eu tenho medo de mulheres apaixonadas desde aquela novela homônima. Prefiro a minha que me ama mesmo.