1.10.10

Atendendo a pedidos

Mathilde, 2 anos e 8 meses

Voltamos para nossa casa no fim de semana passado, depois de 3 semanas fora. Pintura, reforma dos armários, ajustes menores e maiores, e enfim à casa tornamos. Mathilde felizmente gostou de seu novo quarto (que até então tinha sido o quarto de casal, e que decidimos trocar por uma questão de armários) e principalmente de sua nova cama, que passou a ser uma cama de solteiro tamanho adulto, e não mais a mini-caminha que ela tanto adorava (e que vai voltar a ser um berço, agora para Oliver). Também, haja mise-en-scene de nossa parte para transformar o fato da nova cama num acontecimento mágico, fantástico e extremamente positivo. Foi um tal de todo mundo dizer "Mas que cama mais linda!", que acabou funcionando. Com auxílio de novas roupas de cama de bolinha, florzinha e borboletinha, é bom que se diga.


Fico impressionada em ver como ela já é realmente uma pessoazinha, com quem se pode falar de tantas coisas. Uma precisão linguística que para mim é surpreendente. Ela não diz, por exemplo, que o pai não deve deitar na nova caminha dela porque é muito grande. Diz que ele não deve deitar porque é grande demais. E quando, menos de 2 horas depois de jantar um belo prato de arroz, feijão, carne, batata e cenoura, com direito a melancia e jujuba de sobremesa, ela diz que está com fome e quer "comer uma coisinha", eu faço minha cara mais cética, ela resolve mudar a ênfase e em vez de dizer que quer comer, diz que precisa comer uma coisinha*.

A pessoazinha também anda muito carinhosa com a mãe. Quase morro quando ela me abraça e diz "Você é a minha barrigudinha!". E faz muito carinho na minha barriga quando, à noite, depois da caminhada de volta do trabalho pra casa, eu me queixo que a barriga está doendo. E depois do carinho me olha muito séria e pergunta: "Melhorou?".


Tento passar o máximo de tempo com ela, aquele "quality time" em que a gente se dedica totalmente, porque sei que daqui a poucas semanas (mais 2? mais 3?) vem um rolinho compressor que vai mudar pra sempre o nosso relacionamento, transformá-lo em outro -- provavelmente melhor, no longo prazo, mas de qualquer forma é sempre uma mudança e tanto.

Eu trabalho até o final da próxima semana. Depois entro de férias, e emendo na licença-maternidade. Oliver está ótimo, de cabeça pra baixo na posição certinha (virou quando eu já tinha quase perdido as esperanças, depois de passar a maior parte da gestação sentado), mexendo muito muito muito. Até agora, nenhuma contra-indicação para parto normal, como foi o de Mathilde. Eu estou bem, na medida do possível das 36 semanas (= dormindo mal, andando bem devagar, mal conseguindo amarrar os cadarços do meu Reebok Madeleine, etc.). Mas não engordei demais (acho que uns 9kg até agora), a pressão está normal e a temperatura mais amena está ajudando a não inchar tanto. É como diz o ditado: a gravidez dura 8 meses e 1 século.

Ainda não me caiu a ficha de que em breve terei dois filhos. O quarto agora é o "das crianças". Às vezes me pergunto que loucura é essa, onde estávamos com a cabeça quando resolvemos ter mais um, como vamos administrar essa zona.** Mas sei que tudo isso vai se esclarecer magicamente quando ele nascer, como foi da primeira vez. No fundo, vai ser mais uma oportunidade de eu descobrir tantas coisas boas dentro de mim.

*O diálogo:
-- Mamãe, eu
preciso comer uma coisinha.
-- O que você quer comer?
-- Arroz, feijão, carninha...
-- Ah, não, de jeito nenhum, você já jantou e está muito tarde. Quer comer uma banana? Um iogurte? Um biscoito?
-- Está bem.
Chegando na cozinha:
-- Então, o que você vai querer? Banana?
-- Hmmmm... Acho que pode ser uma jujuba.
Nem 3 anos de idade e a cara-de-pau inapelável dos adeptos da técnica do se-colar-colou. Impressionante.

**Disse um amigo com 2 filhos com 2 anos de diferença de idade: Criar um filho é como cuidar de um bichinho de estimação. Criar dois filhos é como administrar um zoológico.

9 comentários:

Liliane disse...

Matilde está linda e uma figura, Parabéns!
Boa Hora para ti!
beijos

Clara Lopez disse...

Ei, obrigadíssima pela lindona (gente, que nariz é esse, feito a cinzel? :), estava com saudades e ela está uma moça linda, inteligente e fofíssima, parabéns, anna, e que venha o guapo rapaz para animar a casa e a vida :)
beijos, tudo de bom para a família
clara

Marcus Pessoa disse...

Ah, mas ela tá muito linda.

(quase não comentei, pela obviedade do conteúdo)

Deh disse...

Ela continua com o olharzinho brilhante, maroto, sorridente. O cabelinho curto é um charme danado, ela está muito linda! :) Essa idade deles é um barato, né? Mal posso esperar pra passar o final de semana só brincando com o Alê.
Beijos!

Isabella disse...

Anna, a Mathilde é uma simpatia! E como está alta.
Pois então, não quero te assustar, mas a Estela começou a dizer que precisava disso e daquilo por volta dos dois anos e nunca mais parou. !
Aproveite bastante estas últimas semanas com a filhota. Eu fiz o mesmo com a Estela e acredito que a ajudou a receber o irmão com mais tranquilidade e segurança.

Beijos e tudo de bom procês,
Isabella

Raquel (NY) disse...

E uma fofa essa Matilde. Curta-a bastante nessas ultimas semanas de filha unica. Aqui nos US eles dizem que o primeiro filho e o "luxury baby", com todo o tempo e atencao que dedicamos a ele...
Que voce tenha um final de gravidez e um parto tranquilos!
Beijo
Raquel

Cláudia disse...

Ai, Anna, que alegria! Como está linda a Mathilde! E que figura! Bom quando o filho chega na fase dátrabalhomasdiverte, não é? A minha pequena está começando, uma graça! Obrigada pelas fotos e pelas novidades da querida!
Beijos,
Cláudia

Jussara disse...

Como ela tá grande! E cada vez mais linda. E esse narizinho dela é uma coisa.

anna v. disse...

Obrigada a todos pelos comentários tão generosos.
E realmente, o nariz de Mathilde... acho que é maior feito da minha vida.
:-)