14.2.12

Downton Abbey


Amigos, regojizai.

Encontrei o substituto à altura para Mad Men (cuja quinta temporada finalmente estreia em março, amém!).
O caminho foi semelhante: um comentário, uma indicação, alguns "você TEM que ver" mais enfáticos... e pronto, viciei.

Downton Abbey é uma série apaixonante. Assim como Mad Men, é uma produção de época com direção de arte deslumbrante. A ação começa em 1912, quando a família do Conde de Grantham recebe a notícia de que os dois próximos na linha de sucessão ao título morreram no naufrágio do Titanic. Como o conde só tem filhas mulheres (três), entra em cena um primo distante, jovem advogado em Manchester, que de uma hora para outra vê-se herdeiro de uma fortuna.

Além da família do conde -- o conde em si, personagem fascinante, sua mãe, interpretada pela fantástica Maggie Smith, que me faz rir em todas as suas intervenções, a condessa, uma americana cujo dote salvou Donwton da ruína, e as três filhas -- a série tem outro núcleo protagonista, os empregados. Literalmente, o "andar de baixo". E como sabe quem viu Vestígios do Dia, filme maravilhoso com Anthony Hopkins e Emma Thompson, os serviçais desses nobres obedeciam a uma severíssima hierarquia, e possuem lealdades cambiantes, entre si enquanto classe mas também em relação à família para a qual trabalham. São ricos os relacionamentos entre mordomo, governanta, cozinheira, ajudantes de cozinha, lacaios e os "assistentes pessoais" do conde e da condessa, que desfrutam de prestígio e são alvo de muita inveja e intriga. Ainda que de cara fiquem marcados os bonzinhos e os vilões, confesso que tive algumas boas surpresas ao longo dos 15 episódios que existem até o momento, que vão do Titanic em 1912 ao pós primeira guerra mundial, em 1920.

Vejam, vejam! E depois me contem o que acharam.

2 comentários:

Clara Lopez disse...

Onde? Onde? :))
bjo, clara

anna v. disse...

dá uma busca em "downton abbey legendado" que aparece.