4.12.08

D'além mar

Um post por dia, sim. Mas não precisa ser original, relevem, vá.
E hoje, cansada e combalida, só Rititi para me fazer dar risadas.

E, caminho de casa, lembrei-me dos mails, dos comentários, dos posts, da infinidade de blogues escritos por gajas que me perseguem como esquizofrénicas desde que engravidei, das piradas da mama, das fanáticas do parto natural, das alucinadas da naturalidade e de não ponhas creme não te vá sair o puto deficiente, das ciber-vizinhas que passam o dia na net à cata do que escrevem as más mães para imediatamente cagarem sentenças sobre a maternidade, o aleitamento, as creches, o tamanho das mamas, os lençois anti morte súbita, as versões para bebés de Morzart, os micróbios e os cabrões dos percentis, sempre à espreita, sempre à escuta, histéricas, malucas. Doentes. Sim, porque além da evidente falta de sentido de humor, da incapacidade de ler nas entrelinhas, da escassez de ironia e de inteligência, estas gajas estão doentes. Apresentam-se como as super-mães (e quantas delas não assinam como "mamã", "mãezinha", "mãefeliz", santo deus?), escarrapacham as fotos dos filhos desde que eram fetos, partilham com o mundo em geral e a blogosfera em particular pesos, medidas e as cores das merdas infantis, como se a vida se lhes fosse nas descrições das bronquiolites e das alergias e dando-se golpes de peito cada vez que expressam amor aos filhos (abusando de maiúsculas, exclamações e todos os sinónimos do verbo amar, não vá a gente ter dúvidas).

É uma praga mundial, hein. O tal coletivo de mães, como diz a Ângela. Assustador.
.

5 comentários:

Deh disse...

É, eu também tenho medo de mães em demasia reunidas. AInda mais se forem as mamães-terra, como diz a Fal, que amamentam filho até ele fazer cinco anos de idade e tal.
Porque tudo o que eu não preciso nessa vida é sentir culpa por cesariana e por amamentar "só" até um ano. E com santa ajuda da mamadeira.
Blé pra essa gente.
E, a propósito, a modelo na passarela no post ali debaixo tá um charme. Um sorrisinho malandrinho que dá gosto! Parabéns!

Beijões!

Marcus disse...

Ótimo texto esse que você citou.

Tá certo que o seu blog acabou virando um "blog de mãe", mas ainda bem que é um blog de mãe diferente.

Anunciação disse...

Hum,assustador,mesmo.

Ana Claudia Pantoja disse...

Eu sempre passo e leio, sem deitar no divã.

Mas hoje decidi, nem sei o porquê, deixar um alô singelo.

Tenha um dia sensacional hoje.

anna v. disse...

Deh, é muito chato estar tão na contramão como a gente. Eu ainda tenho esperanças de um dia encontrar um grupo qualquer só de mães maneiras.
Marcus, tudo o que eu não queria era que isso aqui virasse um blogue de mãe. Acho que vou melhorar daqui pra frente, passado o primeiro ano e tal. Se não, me belisquem, sim?
Ana Claudia, que bom, adorei sua visita e comentário. É tão gostoso quando as pessoas se pronunciam...