3.12.08

Hey Ho um mês antes!

O emprego novo não começa mais no dia de Iemanjá. Meus novos empregadores estão loucos por mim e me querem lá antes. Hoho. E eu que estava achando tão poético isso de Iemanjá.
Fico um pouco melancólica com a saída do meu atual trabalho. Gosto muito, tenho dó de deixar, sabendo de tanta coisa que ainda precisa ser feita. Por outro lado, saindo agora acho que preservo os relacionamentos com pessoas muito especiais -- e também, ou por isso mesmo, muito difíceis.
Na verdade, minha vida profissional é uma bagunça completa -- bons trabalhos em áreas muito diferentes. Mas se tem uma coisa que me deixa feliz é que saio de cada um deles tendo aprendido muitas coisas importantes.
Ih, caramba, tá um baita diarinho isso aqui, hein? Nhé nhé.
-

4 comentários:

Anônimo disse...

E eu não faço a menor idéia do que vc faz como trabalho, mas tenho curiosidade, claro. Vc podia falar assim, por alto, ou não? :)
beijo,
clara

Cláudia disse...

Podia mesmo, hein, Anna? Só por alto. Algumas poucas pistas para acalmar a curiosidade...
Boa sorte no trabalho novo!

Anunciação disse...

Adoro seu diário,além de adorar a Mathilde e a você.Portanto não se atreva a mudar seu terapia zero por nada.E sucesso.

anna v. disse...

Ah, é porque já fiz tanta coisa diferente como trabalho... Mas enfim. Formei em jornalismo e em música. Trabalhei pouquíssimo tempo em jornal impresso, não gostei, trabalhei com jornalismo online no auge da bolha da internet, e foi ótimo. Trabalhei um bom tempo no mercado editorial, como já falei aqui. Agora estou num projeto cultural de educação musical. E em janeiro volto para o mercado editorial. Ano passado comecei a traduzir livros (inglês-português). O primeiro foi o tal sobre Freud que me fez descobrir sua/dele filha Mathilde.