3.8.08

7 meses


Meu amor,

Esta madrugada, enquanto te colocava no colo para a mamada noturna - como fazemos todos os dias, sem exceção, há sete meses - quase não te reconheci, tão grande estás. Poderia dizer que quase não cabes mais no meu colo, mas seria uma mentira. Já sei, desde agora, que sempre, sempre caberás em mim. Mas vejo tuas pernas tão compridas, teus braços já fortes, essas mãos ágeis e decididas, o olhar mais expressivo da face da terra, e tudo isso se embaralha na minha cabeça quando se funde à imagem indelével do primeiro momento em que te vi, tão pequena e frágil, tão linda.

Hoje comemoramos teus sete meses, e meu espanto continua a cada dia, vendo quanta coisa já fazes, já percebes, já resolves e já desejas. Como já sabes conseguir o que queres, e como são difíceis nossos embates de vontades, pois já começo a entender teus truques e artimanhas.

Temos ainda tanta coisa pela frente, nós duas juntas, e isso basta para me fazer imensamente feliz.

Serei sempre muito grata a ti por me fazeres descobrir tantas coisas a meu próprio respeito.
.

6 comentários:

Maria Angélica disse...

Que post lindo! Me inspirou...

E como ela está cada dia mais linda. Sete meses já. Nossa. E essa franjinha? Meudeuso.

Cam Seslaf disse...

Parabéns, linda!
Pronto, não temos mais a mesma filha. Mathilde ultrapassou a Catarina nos quesitos mobilidade e verticalidade. Às vezes acho que ela vai começar a falar amanhã, mas para se mexer... A madame tem uma certa preguicinha, digamos assim.
E a sua última frase é o que penso todo santo dia.

Isabella disse...

Que coisa mais linda! Parabéns para as duas.
Anna, estas suas cartas para a Mathilde são de encher os olhos.
Beijoca

Ângela Fatorelli disse...

Linda sua menina, certamente quando eu tomar vergonha e atravessar a rua, ela já estará escrevendo as cartas a você :)
Queridona, os filhos crescem rápido demais. Ontem, o meu garotão viu um carro da Light e me perguntou: mãe, a light é sem açucar? hahahahaha
eu: ei, quem inventou? ele: eu, ué. Puxou a mamãe no quesito bobagens

Clara Lopez disse...

Linda declaração de amor, ana. E ela, com certeza, merece os pais amorosos que tem.
um abraço,
clara lopez

anna v. disse...

Angelica, não é bem franjinha, é meio penteado de careca, todo pra frente, pra disfarçar a calva, sabe? Mas é linda, ah, isso é.
Cam, é foda, viu? Uma suicida potencial o tempo todo, sempre querendo se jogar de qualquer lugar para o chão.
Isabella, obrigada... Às vezes me pergunto se daqui a alguns anos, quando ela souber ler, ainda vão existir coisas como blogues.
Ângela, pode deixar que eu te convido para o lançamento do primeiro livro dela, para vocês se conhecerem. Tsk tsk tsk. Estamos indo na Casa Ruy direto. Posso te ligar um dia quando formos lá?
Clara, também, com uma fonte de inspiração dessas, né?
;-)