26.9.08

Weaning

Aos poucos volto a ter uma vida social (não-infantil, bem entendido). Nas últimas semanas fui a um jantar baiano, a uma festinha no botequim, à ópera do Theatro Municipal, a um show de música, a uma festa de casamento. Tem aquela palavra inglesa, weaning, que literalmente significa "desmame", mas que carrega um sentido mais abrangente, de distanciamento e desapego, importante e necessário. E, é claro, é muito mais difícil para mim do que para Mathilde.
Ah, sim, falemos de Mathilde.
(E periodicamente eu me sinto na obrigação de dar uma satisfação àqueles que conhecem o blogue há pouco tempo. O nome dela não é Mathilde, viu? Mas sigamos.)
Mathilde já é decididamente bípede. Vejam essa foto, do início de setembro.


(Mas por via das dúvidas, usa joelheiras antiderrapantes. Haha.)


De mãozinha dada, anda pra qualquer lado. Anda e corre, como uma doidinha. Já dá uns 3 ou 4 passinhos sozinha, daqui prali, na maior felicidade. É contagiante. Estou conformada que tamanha metidez e precocidade vão lhe render umas pernas tortas. Ela não tem nem 9 meses.
A felicidade dela é qualquer coisa de espetacular. São tantos sorrisos e risadas que é impossível ficar chateada ao acordar 6 da manhã. E, bem, ela ainda acorda de madrugada, que ninguém é perfeito. Come muito, e de tudo. Arrisco a dizer que o prato dela é similar ao de uma mulher adulta (de dieta). Para um ser humano de 72.5cm e 8.5kg é espantosamente muito. E ainda mama, de manhã e de noite.
É uma rueira de marca maior. Quando começa a dar defeito, a solução é levar para um passeio, seja no canguru ou no carrinho. Na rua ela está sempre bem, conquistando corações alheios. Esse mês inteiro de chuva e tempo ruim tem sido, portanto, uma catástrofe para nós.
Fala pelos cotovelos. Ela fala mamãe, mas não liga o nome à pessoa. Quase tudo é mãmãmãmã. (O que é extremamente perspicaz: mãe é tudo.) E quando toca o telefone, diz algo remotamente parecido a "alô".
A vida social dela também está bombando. Semana passada fomos ao teatro, ver uma peça para bebês muito legal. Recomendo. Mathilde se esbaldou, e era a criatura que mais se expressava na platéia, falando o tempo todo. Ai ai.
No dia seguinte, o primeiro evento vip: a festa de 1 ano da filha de um astro global, casado com uma diretora de novela global, que por acaso foi minha colega de colégio no primário. Não foi daquelas festas temerárias, foi até legal, no apartamento deles, que alugaram piscina de bolas, uns brinquedos e talz. E celebs, ah, muitas. Não vou dizer que lá estava le tout Rio, mas posso dizer le tout Projac sem medo de errar. E umas crianças de roupinhas Adidas. E pipoca orgânica servida por garçons. O mundo me diverte.
O que mais? A babá do pé quebrado se recupera bem, mas acho que vamos ter que renovar por mais um mês com a babá-sub. Que aliás é ótima, se dá super bem com a pequena, já se afeiçoou a ela, levou foto pra casa e tudo. Conquistadora, ela é.
Esta semana começamos a visitar as creches do bairro. Fico, no geral, meio mal impressionada. Tudo me parece depósito de criança, sei lá. Mas a idéia é colocá-la, quando fizer 1 ano, por umas 4 horas diárias. Vejo mais vantagens do que desvantagens nesse início de institucionalização da vida.
Porque é aquilo, né? Criar para o mundo. Weaning, weaning, weaning.
Abaixo, registro do desapego, pleiteando a candidatura à presidência do movimento "Mães sem frescura": brincando na rua, cercada por C. e P., que tomam conta e não deixam que nada de mal lhe aconteça...


P.S.: Sobre a questão de postar ou não postar fotos. (Uma questão que dividiu meus leitores.) Teve um comentário da querida Meg Marques que resume mais ou menos o que penso, e que reproduzo aqui:
"Eu não acho que colocar fotos na internet seja mais perigoso do que andar com as crianças na rua. Algum tarado pervertido pode ver minhas filhas pela internet? Pode. Mas, e daí? Quando eu vou ao supermercado, ao banco, ao shopping, à pracinha, a qualquer lugar com elas, muito mais gente as vê, mais gente me ouve chamando-as pelo nome, as pessoas as vêem com o uniforme da escola onde estudam, etc. A probabilidade de alguma dessas pessoas ser um tarado pervertido é a mesma. Mas eu não vou deixar de andar em público com as meninas, nem colocar um véu na cabeça delas, à la Michael Jackson. Se alguém for causar algum mal a nós vai ser uma dessas pessoas na rua, que pode nos seguir, descobrir onde moramos, etc.
Enfim, acho meio paranóia esse negócio de não pôr fotos na internet."
Eu também penso assim, mas com uma ressalva: não posso decidir não levar Mathilde para a rua para não expô-la. Educá-la em casa e trancá-la entre 4 paredes obviamente não é uma opção. Já colocar ou não suas fotos no blogue é uma escolha minha.

6 comentários:

Anônimo disse...

Eh post bom, adoro quando vc arranja tempo para escrever com vontade. Achei que mathildinha está arrasando mesmo, linda e nem parece que come tanto, não está gordinha, eu gosto mais de crianças não gordinhas, acho que não precisa antecipar na infância os traumas de estar fora do peso...:) Não sei por que, mas achei que a festa vip foi na casa da amora mautner e aquele belo marcos palmeira, a filha deles nasceu em setembro do ano passado, mas pode ser que não...:)
Que ótimo vc estar saindo, desmamando, seja bem vinda à vida fora das fraldas... Só acho triste essa história de creche, sei que não tem jeito, mas...
Um beijo pra fofa e um abraço,
clara lopez

Isabella disse...

Beleza de post!
Estou assim boba de ver a Mathilde se iniciando na andanca. Que graca, Anna.
Adorava estas joelheiras, a Estela usou bastante e pelo visto muito mais que a Mathilde. (hehe)
Eu dei as dela e hoje me arrependo com outro rebento a caminho.
=D
No mais so concordo e deixo aqui a minha parte favorita do post: "Porque é aquilo, né? Criar para o mundo. Weaning, weaning, weaning."
E sobre a creche, tambem so vejo ganhos. A minha comecou com dois anos (tres vezes por semana e por algumas horas). Foi otimo para ambas as partes, e para manter a cabeca no lugar.
Beijo.

Anunciação disse...

Mathilde é realmente uma fonte de inspiração insuperável.Quando vc faz um post onde ela é o assunto principal,esse espaço aqui fica muito mais gostoso!Ela está linda.Mas tremo com a palavra creche.

Hellen (hellenmise@hotmail.com) disse...

Gente: como cabe tanta fofurice numa menina só???

Linda e fofa.

anna v. disse...

Clara, tá por dentro, hein? Foi isso mesmo, o evento celebs. Também, com a dica da pipoca orgânica ficou fácil.
Sobre creches, muito ainda será discutido por aqui...

Jussara disse...

Ela tá linda em todas, mas a foto com os dois amigos peludos me conquistou :). Só faltou o peludo marrom ter saído sorrindo tb.