1.3.12

R-e-g-o-z-i-j-a-i

De repente reparei que meu post sobre Downton Abbey começa com um erro de digitação. Em vez de "regozijai", escrevi "regojizai".
Também pudera.
Regozijo, apesar do significado alvissareiro, está para mim no top 5 das mais feias palavras da língua portuguesa.

Aliás ontem n'O Globo (adoro escrever assim com esse n'O) tinha um artigo do Roberto da Matta que terminava com a seguinte frase:

Estou seriamente pensando em me encontrar com o Dalai Lama, pois ser juiz neste nosso Brasil republicano bem vale uma viagem ao Tibete.

Não seria nada de mais se alguém da editoria de opinião não tivesse escolhido justamente esta frase para ser o "olho" do artigo, aquela frase em destaque que fica no meio do texto, num box, em letra maior. Um recurso comum da diagramação de jornais. Só que, por motivos que não consigo imaginar, o olho ficou assim:

ser juiz neste nosso Brasil republicano bem vale uma viajem ao Tibete

Repararam? Viajem, amigos, uma viajem! E no texto está certo, só nesse destaque é que ficou errado. Grosseiramente errado.

Na página ao lado, no principal artigo de opinião do jornal, o que sai encimado por um indubitável "Nossa opinião" (em contrapartida à "Outra opinião", que vem logo abaixo), achei um "grande números". No Segundo Caderno, uma crítica da Barbara Heliodora saiu com "vendávies" em vez de "vendáveis".

Ao que eu me pergunto: PQP, cadê o revisor?! Ninguém mais dá a mínima bola para essa porcaria? Ninguém lê a p*rra do jornal antes de mandar para a gráfica? Eu fico assim, passada.

No carnaval, a Prefeitura do Rio encheu os postes da cidade de galhardetes sobre o carnaval de rua. Um deles propagandeava que em 2012 haveria pela cidade não sei quantos banheiros químicos, "250% a mais em relação à 2010". Isso mesmo, a craseado. Caramba, quem é que aprova essas peças? Quem é o infeliz do funcionário público cujo salário eu pago e que dá um visto dizendo que está tudo bem uma propaganda oficial que diz "em relação À 2010"? E cá entre nós, por que 2010? Talvez devesse ser 2011 e este foi mais um erro de revisão...

5 comentários:

Anônimo disse...

Acho que Roberto daMatta, antropólogo, comenteu um engano. O Dalai Lama não vive no Tibete,mas no norte da Índia, que lhe concedeu asilo político.Tê.

Anônimo disse...

corrigindo... cometeu:)
Tê.

anna v. disse...

Caramba, Tê. Mais uma gafe. Jornais também não têm mais checadores de fatos...
:-(

Tina Lopes disse...

Hahahahaah cabô revisão... aliás, vou começar a trabalhar com isso, além de outras cositas.

Clara Lopez disse...

E vc acredita, anna, que fui checar o uso do tempo verbal e nem me dei conta dessa troca? A gente fica meio cega mesmo :)
bjo,
clara