30.11.06

Que las hay, las hay

Imagem: relaxkids.com
Não acredito em bruxas, fadas ou duendes. Só em magias maternas.
Se não, como explicar que ontem eu estava saindo do trabalho, pronta para ir a um evento no Leblon, marcado para as 19h. Lá pelas 18h40 ia sair quando me dei conta que caía um temporal lá fora. E eu toda verão, sandália, saia, bolsinha de pano e um monte de papel importante pra carregar na mão. Blé. Olhei para o cantinho da minha sala onde sempre fica meu guarda-chuva de plantão para situações como essa. Não estava. Hmmm. Resolvo esperar mais um pouco, ver se diminui a chuva. Dois minutos depois, toca o telefone. O moço da portaria.
-- Sua mãe está aqui embaixo, de carro.
Hã?! Minha mãe?
-- Ok, diga que já vou descer.
Tlec, tlec, tlec.*
-- Oi, mãe, que surpresa.
-- Oi, filha. Estava passando por aqui de carro, sem celular, resolvi dar uma passadinha para ver se você ainda estava aqui e se precisava de uma carona, com essa chuva.
-- Que ótimo. Você está indo pra onde?
-- Pro Leblon.

Salagadula, mexicabula, bibidi, bobidi, bum.


*Onomatopéia para som de descer a escada de sandalinha.

4 comentários:

Marcus disse...

Ai, tive uma pontada de emoção com o trechinho de música que você postou. Eu adoro essa música! E fazia um tempão que eu não me lembrava dela.

Eu sou que nem você, não acredito em coisas sobrenaturais, mas que elas existem, existem. Veja esse post do Inconfidência Mineira.

Jussara disse...

É que toda mãe tem um pouco de bruxa ;).
Ah, fazia tempo tb que eu não via essa última frase...e sorri internamente qdo li. É uma música? não me lembro.É de um desenho? de um filme? lembro dela, mas não lembro de onde.

anna v. disse...

Jussara, a música é da fada-madrinha da Gata Borralheira, quando vai transformá-la em Cinderela ("Isso é magia, acredite ou não, bibidi, bobidi, bum")
Marcus, vi o post, que coisa. Essas sobrenaturalices são incríveis mesmo, mas o lance com as mães acho que é mesmo uma sintonia genética, algo assim.

Camilo disse...

Aff! Eu não acredito é no acaso. Tudo tá ligadinho ali, ó. Com mãe então...

Toda vez que eu sinto alguma dor no umbigo (pode rir - hehehe) eu preciso ligar pra minha mãe pra saber se tá tudo bem. Aí a dor passa.

Vi o post que o Marcus indicou. Incrível! O caso do menino que caiu da janela aconteceu perto da casa da minha mãe. "Foi o moço de branco que me pegou e me pôs no chão". Um moço que ninguém viu. Eu penso que se um homem tentar pegar uma criança de 4 anos em queda livre vai quebrar o braço.

Las hay, sí!